Acesso ou Registar-se para submeter um artigo.

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.

  • A contribuição é original e inédita e não se encontra sob revisão ou para publicação junto de outra revista.
  • O “Manuscrito” a submeter é composto por 3 ficheiros (1) Folha de identificação; 2) Manuscrito; 3) Tabelas, quadros, figuras, gráficos) e respeita as normas abaixo descritas.
  • O artigo segue as orientações para as referências bibliográficas dos “Requisitos Uniformes para Apresentação de Manuscritos e Revistas Médicas”, conhecidas como Normas de Vancouver, utilizando o formato sobreescrito.
  • A inclusão dos nomes, ORCID e afiliação dos coautores é da responsabilidade do autor que submete e realizada no separador “Inclusão de Metadados” da área de submissão do manuscrito. Em todos os autores devem constar o email de contacto, o ORCID iD e a afiliação segundo o seguinte formato (Instituição de Saúde, Serviço, País e/ou Universidade/Instituto Instituição de Ensino Superior, Faculdade/Instituto, Centro de Investigação, País). POR FAVOR VERIFIQUE CONFIRME QUE INCLUIU TODOS OS AUTORES.
  • Os dados acima solicitados, constam no ficheiro de identificação do manuscrito (ficheiro 1).
  • Todos os autores devem submeter devidamente preenchido formulário de informação de possíveis conflitos de interesse (descarregar formulário). Seguir as indicações lá apostas.

Submissão de Artigos

O artigo poderá ser publicado em português, espanhol ou inglês.

O manuscrito deverá ser formatado em tamanho A4, fonte Arial, regular, corpo 12, espaçado a 2 linhas, com uma margem de 3cm em todos os contornos. Todas as páginas devem ser numeradas.

Cada artigo não deve exceder 165.000 caracteres, incluindo espaços. Figuras (incluindo fotografias) ou quadros correspondem aproximadamente a 1.000 caracteres.

Os Cadernos seguem as orientações dos “Requisitos Uniformes para Apresentação de Manuscritos e Revistas Médicas” do ICMJE , conhecidas como  Normas de Vancouver (documento de apoio).

 

Preparação dos Manuscritos

O manuscrito deverá estar organizado em 3 ficheiros:

  1. O ficheiro de identificação, no qual devem constar os seguintes elementos:
    1. O título do artigo em português e inglês; (no caso de a língua original do artigo ser em espanhol, deve estar em espanhol e inglês); não deverá exceder os 150 carateres; na redação do título só a 1ª letra deste poderá estar em maiúsculas (ex.: “Cumprir com os princípios éticos em doentes idosos e frágeis com doença renal crónica avançada”), com exceção dos casos em que pela norma linguística o tenham que ser (ex.: “Portugal”);
    2. Nomes dos autores;
    3. Correio eletrónico e telefone do autor principal ou do que for nomeado como autor para correspondência;
    4. ORCID iD de todos os autores;
    5. Afiliações de todos os autores segundo a seguinte sequência ((Instituição de Saúde, Serviço, País e/ou Universidade/Instituto Politécnico/Instituição de Ensino Superior, Faculdade/Instituto, Centro de Investigação, País);
    6. Não devem constar graus académicos, categorias profissionais ou outras referências.
  2. O ficheiro do manuscrito, de acordo com as seguintes orientações e secções:
    1. Primeira página deverá incluir o título do manuscrito;
    2. O Resumo e Palavras-chave (português/espanhol e em inglês). O resumo deve estar organizado em Introdução, Objetivos, Materiais e métodos, Resultados, e Conclusões. As palavras-chave, entre 3 e 5, deverão ser apresentadas segundo o normativo do Medical Subject Headings do Index Medicus, em português e em inglês;
    3. O texto principal organizado em Introdução, Materiais e métodos, Resultados, Discussão e Conclusões. Tratando-se de um trabalho com pessoas ou animais deverá ser referida a aprovação pela Comissão de Ética da instituição respetiva (anexar também o parecer no processo de submissão).
    4. No final do texto, após as referências bibliográficas, devem constar 3 pequenas secções: 1) Conflitos de interesses; 2) Financiamento e 3) Agradecimentos (se considerado adequado).
  3. O ficheiro de quadros, tabelas, gráficos e figuras
    1. Os Quadros/Tabelas/Gráficos (título em cima) e as Figuras (título em baixo) deverão ser numerados separadamente com numeração árabe e apresentados um por página, assinalando-se no texto principal o local de inserção aproximada. Serão publicados a preto e branco.
    2. Os artigos submetidos para publicação que se socorram de quadros ou imagens não originais deverão ser devidamente referenciados e acompanhados da respetiva autorização de publicação, a obter pelos autores.

 

Referenciação Bibliográfica

As referências no texto devem ser realizadas de acordo com a Norma de “Vancouver Superscript”, numeradas, correspondendo à ordem em que aparecem. A lista final de referências será numerada seguindo essa mesma ordem. Exemplo: (ver documentos de apoio acima)

           Referências
                    1. Pedersen P, Jorgensen H, Nakayama H, Raaschou H, Olsen T. Aphasia in acute stroke: incidence, determinant, and recovery. Ann Neurol. 1995;38:659-666.
                    2. Scarborough H, Wyckoff J, Davidson R. A reconsideration of the relation between age and mean utterance length. Journal of Speech, Language, and Hearing Research. 1986;29:394-399.
                    3. Fry D. Multiple System Organ Failure. St. Louis: Mosby-Year Book, Inc.; 1992.
                    4. Reddy D, Hart R. Stroke epidemiology, etiology, and background. In: Schweizer T, Macdonald R, eds. The Behavioral Consequences of Stroke. New York: Springer; 2014. p. 1-14.

 

Numerações e contextos numéricos

Em contextos não-numéricos, é usual escrever por extenso os números até dez (um, dois, três…, nove, dez). Sugere-se a adoção deste critério em textos predominantemente teóricos.

Na numeração, a pontuação utilizada para separar a parte inteira da decimal é a vírgula: 253,05. É utilizado um ponto final em vez da vírgula nos países de língua inglesa.

Em algumas situações, poderá representar-se por extenso os numerais ordinais: «como 1.ª escolha» ficará «como primeira escolha».

Quando se fala de um intervalo entre percentagens, não é necessário que os dois valores numéricos sejam acompanhados do sinal de percentagem: «especificidade entre 13,8% e 98,2%» ficará «especificidade entre 13,8 e 98,2%».

Outras situações

Siglas e acrónimos não variam em número: «80% das ITU» e não «80% das ITUs».

Abreviaturas são sempre grafadas com um ponto: D.ª, n.º, 1.º

Os títulos de tabelas e quadros só necessitam de letra maiúscula na palavra inicial, com as devidas exceções para o uso estabelecido de maiúscula.

Sugere-se a moderação do uso de maiúsculas, reservando-as para os casos em que estas devem mesmo ser utilizadas.

Quando é necessário que haja parênteses dentro de parênteses, escreve-se o parêntese curvo dentro do parêntese reto: [( )].

Sobre as locuções a nível de e a nível (+adj.):

  • a nível de: na maior parte das vezes não acrescenta nada ao enunciado, como em «alterações a nível da estrutura molecular», que pode ficar só «alterações da estrutura molecular». Noutros casos, pode evitar-se a sua repetição com a utilização de alternativas, como: em relação a, quanto a, no que se refere a, relativamente a, no âmbito, do ponto de vista de;
  • a nível (+adj.): em alguns contextos, a locução pode ser substituída pelo advérbio correspondente ao adjetivo: «A nível internacional» [internacionalmente].

Sobre onde:

  • O advérbio onde emprega-se em contextos locativos, isto é, em contextos em que há uma dimensão espacial concreta, e significa «o lugar em que», «o sítio em que», «o local em que», «no qual». Na maior parte das vezes não é utilizado corretamente, e no seu lugar deve usar-se «em que», «na qual», «no qual», «nas quais», «nos quais».

A preposição de não se contrai com o artigo definido quando seguida de construções de infinitivo: «apesar de a […] não ser» e não «apesar da […] não ser».

Em textos grafados a itálico, como no caso do Resumo, não se grafa a itálico as palavras que normalmente assim seriam grafadas, como os estrangeirismos.

  • Alguns exemplos de estrangeirismos: Checklist, feedback, link, performance, standard, versus, stress.

Relativamente Acordo de 1990, há vocábulos com «dupla grafia», isto é, a sua grafia foi alterada pelo Acordo de 1990, mas admitem ainda a grafia segundo o Acordo de 1945. Nestes casos, deverá ser mantida a grafia do antigo acordo. (apoio)

No mesmo texto deve evitar escrever uma palavra usando a grafia do português de Portugal e a do português do Brasil. No caso de um artigo ser redigido por autores/as portugueses/as e autores/as brasileiros/as, deve optar-se por uma das grafias. Como exemplo, as palavras câncer e cancro, deve escolher-se câncer ou cancro e manter a grafia escolhida ao longo de todo o texto.

Deve assegurar-se que todos os links funcionam. Entre a altura em que o artigo é escrito e a sua publicação é normal que haja algum link/publicação online que fique desatualizado. Seria recomendável que os autores confirmassem o funcionamento das ligações indicadas.

 

Processo Editorial

Os procedimentos regem-se pelo seguinte plano:

1. O autor correspondente receberá notificação da receção do manuscrito por correio eletrónico.

2. O manuscrito submetido será inicialmente analisado pelos Editores da Revista Cadernos de Saúde para verificar se o mesmo está de acordo com as normas de publicação e se enquadra na política editorial. Poderá ser recusado nesta fase, sem envio a revisores. Poderá ainda ser solicitado ao autor correspondente os elementos em falta e/ou algumas correções.

3. Os Editores enviarão o manuscrito a, no mínimo, dois revisores para avaliação de acordo com os seguintes critérios: originalidade, atualidade, clareza de escrita, método de estudo apropriado, dados válidos, conclusões adequadas e apoiadas pelos dados, importância, com significância e contribuição científica para o conhecimento da área. A Revista Cadernos de Saúde segue um rigoroso processo cego (single-blind) de revisão por pares (peer-review, externos à revista). A identidade dos revisores é confidencial. O manuscrito e todos os detalhes associados são mantidos confidenciais pela Direção da Revista e por todas as pessoas envolvidas no processo de revisão.

4. Os revisores deverão, no prazo máximo de quatro semanas, responder ao editor indicando os seus comentários relativos ao manuscrito sujeito a revisão com base em cinco critérios:

  1. a) Aceite para publicação;
  2. b) Aceite com revisão (indicando as sugestões);
  3. c) Questionável – revisão profunda;
  4. d) Rejeitado – resubmissão sugerida;
  5. e) Rejeitado.

5. No prazo de 15 dias após a receção dos pareceres dos revisores, os Editores devem informar os autores da decisão tomada, reenviando o artigo com os comentários dos revisores, se houver lugar a reformulação.

6. Os autores dispõem de 20 dias para submeter a nova versão revista do manuscrito, contemplando as modificações recomendadas pelos revisores e pelos Editores. Quando são propostas alterações, o autor deverá enviar, no prazo máximo de 20 dias, um e-mail aos Editores, respondendo a todas as questões colocadas e anexando uma versão revista do artigo com as alterações inseridas destacadas com cor diferente.

7. Os Editores enviam aos revisores uma versão revista do artigo com as alterações inseridas destacadas com cor diferente. Os revisores dispõem de quatro semanas para o envio dos seus comentários e da sua sugestão quanto à aceitação ou recusa para publicação do mesmo.

8. No caso da aceitação, em qualquer das fases anteriores, a mesma será comunicada ao Autor correspondente. Quando o artigo é aceite para publicação é mandatário o envio via e-mail do formulário de “cedência de direitos de autor”.

9. Após aceitação do artigo para publicação e a finalização de todo o processo de revisão do artigo, os Editores enviarão o artigo para revisão dos Autores já com a formatação final, mas sem a numeração definitiva. Os Autores dispõem de cinco dias para a revisão do texto e comunicação de quaisquer erros tipográficos. Nesta fase, os Autores não podem fazer qualquer modificação de fundo ao artigo, para além das correções de erros tipográficos e/ou ortográficos. Não são permitidas, nomeadamente, alterações a dados de tabelas ou gráficos, alterações de fundo do texto, etc. Após a resposta dos Autores, ou na ausência de resposta, após o decurso dos cinco dias, o artigo considera-se concluído para edição.