Contributos para o desenvolvimento de um sistema de auto e multirregulação educativa

Main Article Content

José Verdasca

Resumo

Nos novos equilíbrios entre Estado, professores, pais, autarquias e comunidade em geral na administração da educação e na regulação local socioeducativa há todo um campo aberto a novas conceções na gestão de redes públicas de educação. Sendo as ações pedagógicas o que de facto funciona, e tendendo estas a ocorrer sobretudo no espaço-turma, para uma melhor compreensão das mesmas, importa convocar perspetivas de análise que não ignorem a estrutura composicional da turma enquanto fator crítico do desempenho escolar. Daí a ideia de explorar interações entre resultados escolares, fatores contextuais e inputs associados a dinâmicas pedagógicas, tendo por objetivo a análise e projeção contextualizada dos resultados escolares da turma, fazendo refletir compromissos de ano de escolaridade em cada um dos grupos-turma e induzindo a descentração dos focos de discussão de fatores externos composicionais para alvos relacionados com as dinâmicas pedagógicas, metodologias e processos de trabalho adotados, critérios organizativos de constituição de grupos e de distribuição de recursos docentes, paradocentes e outros, práticas curriculares e critérios avaliativos. No plano instrumental técnico, recorremos a dois modelos de análise e projeção contextualizada do desempenho escolar da turma: o método dos mínimos quadrados parciais (PLS), particularmente adequado quando se está em presença de várias variáveis explicativas e de resultado correlacionadas entre si e se se dispõe de um reduzido número de casos de observação; o método dos scores contextuais da turma (MSC), cujo algoritmo desenvolvemos, e que é suportado na intensidade e sentido correlativos entre cada uma das variáveis contextuais da turma e as variáveis resultado, possibilitando a projeção de compromissos mínimos da escola e o respetivo reajustamento para cada uma das turmas em função do respetivo score contextual.

Palavras-chave: Monitorização e regulação educativa, Estrutura composicional da turma, Projeção ajustada do desempenho escolar

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Antunes, F., & Sá, V. (2010). Públicos Escolares e Regulação da Educação. V. N. Gaia: Fundação Manuel Leão.

Barata, M., Calheiros, M., Patrício, J., Graça, J., & Lima, M. (2012). Avaliação do Programa Mais Sucesso Escolar. Lisboa: DGEEC.

Barroso, J. (1999). Regulação e autonomia da escola pública: o papel do Estado, dos professores e dos pais. Revista Inovação, vol. 12, n.º 3, pp. 9-33.

Barroso, J. (2005). O Estado, a educação e a regulação das políticas públicas. Educação & Sociedade. Revista de Ciências da Educação. Campinas (Brasil): Centro de Estudos Educação e Sociedade (CEDES), vol. 26, n.º 92, pp. 725-751. https://doi.org/10.1590/s0101-73302005000300002

Barroso, J. (2013). A emergência do local e os novos modos de regulação das políticas educativas. In J. Verdasca (ed.), A Escola em Análise: Olhares sociopolíticos e organizacionais. Temas e Problemas, Ano 6, n.º 12-13, pp. 13-25.

Barroso, J. (2018). Descentralização, territorialização e regulação sociocomunitária da educação. Revista de Administração e Emprego Público, 4, pp. 7-29.

Cabrita, M. C. (2012). Capital intelectual e desempenho organizacional no sector bancário português. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, Vol. 11, n.º 2-3, pp. 63-73.

Castro, L., Santos, J., Pereira, T., & Vitorino, A. (2014). Modelos para Comparação Estatística dos Resultados Académicos em Escolas de Contexto Análogo: Painel de dados para apoio à avaliação externa das escolas. Lisboa: DGEEC-MEC.

CNE (2016). Organização Escolar: As turmas. Lisboa: Estudos CNE.

Estêvão, C. (2012). Políticas e Valores em Educação: Repensar a escola pública como um direito. V. N. Famalicão: Edições Húmus.

Fialho, I., Verdasca, J., Cid, M., & Tobias, A. (2014). Estudos de Avaliação do Programa Mais Sucesso Escolar (1). Évora: CIEP-UE (trabalho contratualizado pela DGE-MEC).

Hattie, J. (2009). Visible Learning. A Synthesis of Over 800 Meta-analyses Relating to Achievement. London and New York: Routledge. https://doi.org/10.4324/9780203887332

Justino, D., & Batista, S. (2013). Redes de escolas e modos de regulação do sistema educativo. In J. Verdasca (ed.), A Escola em Análise: Olhares sociopolíticos e organizacionais. Temas e Problemas, Ano 6, n.º 12-13, pp. 41-60.

Pestana, M. H., & Gageiro, J. (2009). Análise Categórica, Árvores de Decisão e Análise de Conteúdo em Ciências Sociais e da Saúde com o SPSS. Lisboa: Lidel, Edições Técnicas.

Silveira, F., Chaves, L., Silva, F., & Costa, L. (2012). Avaliação da regressão PLS (Partial Least Square) considerando diferentes estruturas de correlação entre as covariáveis. Revista da Estatística, UFOP, Vol. II, p. 85.

Turner, H. (2017). Política e práticas baseadas em evidências: de onde vieram, para onde vão e por que são importantes. Instituto Unibanco (org.), Caminhos para a Qualidade da Educação Pública: Impactos e evidências (pp. 114-127). São Paulo: Fundação Santillana.

Verdasca, J. (2002). Desempenho Escolar, Dinâmicas de Evolução e Elementos Configuracionais Estruturantes. O caso dos municípios de Évora e de Portel. Universidade de Évora (Tese de doutoramento). http://hdl.handle.net/10174/11292

Verdasca, J. (2007). TurmaMais: uma experiência organizacional direccionada à promoção do sucesso escolar. Revista Ensaio, Avaliação e Políticas Públicas em Educação, vol. 15, n.º 55, 241-254. https://doi.org/10.1590/s0104-40362007000200005

Verdasca, J. (2008). TurmaMais: uma tecnologia organizacional para a promoção do sucesso escolar. In M. Vilaverde Cabral (org.), Conferência Internacional ‘Sucesso e Insucesso: escola, economia e sociedade’ (pp. 139-176). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Verdasca, J. (2011). O ciclo de estudos, unidade base da organização pedagógica da escola. In I. Fialho & H. Salgueiro (org.), TurmaMais e Sucesso Escolar: Contributos teóricos e práticos (pp. 33-60). Évora: CIEP.

Verdasca, J. (2017). Contributos para o desenvolvimento de um sistema de monitorização e (auto)regulação escolar. Fórum Estatístico, DGEEC-ME.

Verdasca, J. (2018). Na antecâmera de um novo ecossistema educacional. Revista Nova Ágora, n.º 26, pp. 26-31.

Verdasca, J., Neves, A., Fonseca, H., Fateixa, J., Procópio, M., & Magro, T. (2019). Escolas e Comunidades – Tecendo Políticas Educativas com base em evidências (Relatório PNPSE 2016-2018). Lisboa: PNPSE-DGE | ME.

Resolução do Conselho de Ministros n.º 23/2016, Diário da República n.º 70/2016, Série I, 11 de abril.

Resolução do Conselho de Ministros n.º 135/2019, Diário da República n.º 155/2019, Série I, de 14 de agosto.