Uma vingança póstuma à metafísica: a relação entre ciência, filosofia e religião a partir da filosofia da natureza de Georg W. F. Hegel

Main Article Content

Pedro Lucas Dulci

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, Hannah (2010). A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

BECKENKAMP, Joãosinho (2005). Filosofia da história. UNB: Brasília.

BECKENKAMP, Joãosinho (2012). Enciclopédia das Ciências filosóficas: em compêndio (1830): Volume 1 A ciência da lógica. São Paulo: Loyola.

BRANDOM, Robert B. (2011). Hegel e a filosofia analítica. Porto Alegre: Veritas, nº 56. https://doi.org/10.15448/1984-6746.2011.1.9294

GEORGE, Timothy (2010). Teologia dos reformadores. São Paulo: Vida Nova.

HEGEL, G. W. F. (1974.) Introdução à história da Filosofia. Coimbra: Arménio Amado – Editor Sucessor.

HEGEL, G. W. F. (1995). Enciclopédia das Ciências filosóficas: em compêndio (1830): Volume 3 A filosofia do espírito. São Paulo: Loyola.

HEGEL, G. W. F. (1997). Enciclopédia das Ciências filosóficas: em compêndio (1830): Volume 2 A filosofia da natureza. São Paulo: Loyola.

HEGEL, G. W. F. (2004). O mais antigo programa de sistema do idealismo alemão. In: Bek vingança póstuma à metafísica: a relação entre ciência, filosofia e religião a partir da filosofia da natureza de Georg W. F. Hegel kenkamp, Joãosinho. Entre Kant e Hegel. Porto Alegre: EDIPUCRS.

KANT, Immanuel (2001). Crítica da razão pura. Edição da Fundação Calouste Gulbenkian Av. de Berna I: Lisboa.

PIPPIN, Robert (2008). Hegel’s Practical Philosophy: rational agency as ethical life. Cambridge: Cambridge University Press. https://doi.org/10.1017/cbo9780511808005

SILVA, Márcia Zebina Araújo da. Natureza e Histórica em Hegel. Disponível em: http://Hegelbrasil.org. Acessado em: 10 de fevereiro de 2015.

SINGER, Peter (2012). Hegel. São Paulo: Loyola.

TAYLOR, Charles (2014). Hegel: sistema, método e estrutura. São Paulo: Loyola.

VIEIRA, Leonardo Alves (2007). Schelling. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

ŽIŽEK. Slavoj (2013). Menos que nada: Hegel e a sombra do materialismo dialético. São Paulo: Boitempo.